Ato pelo Não Aumento da Passagem do Trem e Fora Bolsonaro – Lula Candidato – 01/02/2021

Ato

Nesta segunda, o comitê Fora Bolsonaro Rio de Janeiro CZS promoveu e participou do ato contra o aumento da passagem de trens no Estado do Rio de Janeiro. Mesmo com o país vivendo uma das piores crises econômicas e sanitárias, o governo do desconhecido bolsonarista Claudio Castro deseja impor um aumento de 25,5% nas passagens de trem, fazendo com que a tarifa da Supervia passe de R$ 4,70 para R$ 5,90, ou seja, o trabalhador e a trabalhadora que se utilizam dos trens diariamente vão precisar separar mensalmente aproximadamente R$ 259,60 do seu orçamento só para esta etapa do deslocamento diário, sem contar as outras modalidades, tais como ônibus e metrô.
Junto conosco estava o partido da Causa Operária, a FIST, a União Estadual dos Estudantes, a Casa Fluminense, entre outras organizações e movimentos sociais, denunciando que este aumento é reflexo do golpe de 2016, que liberou os impulsos capitalistas para aumentar a exploração sobre a classe trabalhadora.
O Comitê lembrou que a superação deste ataque só pode acontecer com a derrota do Golpe e do Bolsonarismo, através da eleição de quem o povo desejaria votar em 2018, Lula, mas que a fraude do processo da Lava Jato, com a conivência do TRF-4, STJ e até mesmo do STF.
Nas filmagens pode-se ter uma ideia de quão combativo foi o ato. Cabe a observação que quando o grupo que fez uma intervenção em frente à Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) chegou próximo a Central do Brasil, os portões foram fechados impedindo que os usuários pudessem entrar para retornar para casa, sendo que não era intenção dos manifestantes ingressar no prédio da Central, ainda que fosse algo totalmente legitimo, visto que várias empresas montam estandes para fazer propaganda no local, e  um dos objetivos de uma manifestação é divulgar uma posição para a população.
No momento, o aumento foi suspenso por vinte dias, contudo é preciso incrementar a mobilização para evitar o aumento, sendo que o movimento não pode se limitar à pauta econômica, mas deve  sim ampliar a perspectiva da luta para a derrota do golpe de 2016 e do Bolsonarismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

wpChatIcon