É preciso impedir o despejo da Ocupação Antonio Louro em plena segunda onda

Ocupação Antonio Louro, um lugar singelo mas que tem protegido seus moradores da exposição a covid em 2020

Desde que a pandemia da Covid-19 se instalou no País, uma parcela significativa das pessoas que se consideram de esquerdas começaram a repetir o mantra dos bancos e da emissora da família Marinho, o “Fique em Casa” sendo que numa economia onde 50 % da sua força de trabalho estão na informalidade, se torna praticamente impossível cumprir o isolamento proposto pela OMS. Mas a situação é ainda mais precária quando você, por toda falta de possibilidade, mora em um prédio do poder publico abandonado em uma situação irregular.

Esta é a realidade dos moradores da ocupação Antonio Louro na Visconde do Rio Branco n°19 no Centro. São mais de 10 famílias com idosos, mulheres e crianças, muitas dos chefes de famílias são camelôs. Pessoas que em 2016 ficaram agradecidas em conseguir um teto para morar ainda que não sabiam se este endereço seria o definitivo. Para tal procuraram regularizar a posse do imóvel, dando entrada no devido processo legal em janeiro de 2017.

Entretanto, eles tiveram a ilusão de que só poderiam ser desalojados, depois que a pandemia passasse. Principalmente pela declaração de estado de calamidade em 20 de março pelo Congresso Nacional e pela recomendação do Conselho Nacional de Justiça que os juízes tivessem especial cautela com a decretação de despejo na vigência do estado de calamidade. Contudo esta recomendação não tinha e não tem um valor de efetiva suspensão. Somado ao fato que a lei que proibia o despejo só se referia a ações que tivessem sido ajuizadas depois de 20 de março.

Mas uma contradição do sistema capitalista brasileiro. Fique em casa,  mas o estado pode te jogar na rua se for para atender a uma decisão judicial e que se dane a pandemia.

É por isto que todas as pessoas preocupadas em evitar que vidas sejam expostas sem necessidade devem ser mobilizar que o despejo da ocupação Antonio Louro aconteça principalmente antes do julgamento da ação e durante a pandemia.

Assim pode mandar enviar email para o desembargador Lucio Durante da 19ª Camará Civil, gab.desluciodurante@tjrj.jus.br, entrar em contato com a Frente Internacionalista dos Sem Tetos, fist17@gmail.com, divulgar este texto para os seus conhecidos e também aparecer na Ocupação Antonio Louro as 7hrs no dia 3 de dezembro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

wpChatIcon