Advogado da Casa Nem faz denúncia contra o opressor do povo em Copacabana

Uma importante medida para que o povo possa se manifestar livremente, ainda que respeitando as medidas de precauções atuais acabou de ser realizada.

O eminente advogado Andre Luiz Costa de Paula, membro da Anistia Internacional, deu entrada na Corregedoria de Policia do Rio de Janeiro de uma reclamação direcionada ao principal repressor das manifestações populares no calçadão de Copacabana, o comandante do 19° Batalhão, TenCel Marcos Alexandre da Siva Balbino, devido as constantes violações das normas higiênicas do decreto estadual.

Como consta na denúncia e registradas em vários vídeos o referido oficial teria cometido abuso de autoridade contra o direito de livre manifestação por duas vezes com as prisões arbitrárias do próprio advogado e da militante social Amanda Assumpção em 28 de junho e apreensão de uma Megafone, registrada em reportagem pelo Jornalista Marcelo Auler em seu blog.

A denúncia não se limita a estes registros. Igualmente cita um falso testemunho do oficial pois o senhor De Paula lembra que neste dia ele se apresentou na delegacia para esclarecimento, não se caracterizando a uma suposta desobediência civil. Destaca, igualmente, as arbitrariedades no dia 24 de agosto por ocasião da reintegração de posse da Casa Nem.

Naquele dia o senhor De Paula foi detido e o megafone foi novamente apreendido provocando nova aglomeração indevida de policiais e pessoas.

Por fim, o documento registra ação de policiais do batalhão comandado por este oficial, que no dia 8 de setembro, entraram na escola Pedro Alvares Cabral, onde os integrantes da Casa Nem estavam assentados provisoriamente, por acordo firmado com o governo do estado e prefeitura, e com intermediação do Cardeal Orani, e, sem qualquer mandado e de forma abusiva conduziram uma das lideranças, a Indianare Siqueira, à 12° delegacia da policia civil, tentando indiciá-la por invasão de patrimônio público, apesar da liderança ter repetido, por várias vezes, que havia o acordo firmado, solicitando inclusive que o oficial se comunicasse com o diretor da escola, o que foi ignorado pelo oficial, sugerindo um caráter homofóbico da ação.

O advogado da Casa Nem e membro da Frente Internacionalista espera que a corregedoria tome as devidas providencias para que o povo possa se manifestar sem ter o seu direito violado nem Copacabana nem em qualquer lugar do Estado do Rio de Janeiro

Nós do comitê Fora Bolsonaro Rio de Janeiro Centro e Zona Sul não temos tal esperança. Consideramos que o povo tem de ir em peso nos atos pois é desta maneira que policiais com este  oficial passam a respeitar o povo.

Comente outra arbitrariedade que você já presenciou ou sofreu.

#FORABOLSONARO #ELEIÇÕESGERAISJA

2 comments

  1. Apoiados o advogado André de Paula e os companheiros do Comitê. A repressão no local é fora do padrão já absurdo de nossa polícia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

wpChatIcon